quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Primeira reunião do Grupo EJA em Movimento pós-III Encontro aprofunda questões relativas aos sujeitos da EJA

Dia 13 de novembro, tivemos mais uma reunião do Grupo EJA em Movimento, na sala Multimeios 2, no Centro de Educação, da UFRN. A primeira após nosso exitoso III Encontro de Educação de Jovens e Adultos, que prazeirosamente nos consumiu entre os dias 25 e 27 de outubro.
Com a presença de três novos colegas de municípios do entorno de Natal, nossa pauta se restringiu à discussão do capítulo 5 do livro "Imagens Quebradas", do prof. Miguel Arroyo (UFMG).
Na oportunidade, além da discussão do conteúdo do capítulo, e em diálogo direto com ele, tivemos a oportunidade de ouvir um relato de experiência da profa. Jéssica Lira, a qual ao mesmo tempo em que pontuava questões relacionadas ao texto em discussão, nos trouxe detalhes de sua primeira vivência (ainda como estudante em formação, no PIBID) junto a uma turma de EJA, na qual ela conseguiu transformar um ambiente de medo e intimidação em espaço de diálogo e proximidades, a partir de sua persistência em buscar a interlocução com os estudantes, ainda que entre eles existisse desconfiança, desesperança e clara animosidade perante todos os profissionais que haviam tentado trabalhar com a turma.
No seu relato ficou evidente que ao invés de ignorar ou repulsar as manifestações mais violentas dos contextos concretos de vida dos estudantes, de tudo o que ocorre fora da escola e que nela entra sem pedir licença, a então estudante se dispôs a encara-las buscando entender as trajetórias humanas daqueles sujeitos. Trajetórias atravessadas pelas destruições cotidianas da dignidade dos sujeitos, que as estruturas de desigualdade forjadas pela nossa sociedade forjam e que - como diz o próprio Arroyo - essa mesma sociedade, depois, espera deles, das escolas e dos professores, o milagre de que eles acreditem em futuro melhor, que se esforcem e amem o estudo, o conhecimento e os valores que a própria sociedade nega.
Em meio à discussão da experiência da profa. Jéssica ficou o estímulo para que ela escreva sobre essa vivência e socialize já que, diante da facilidade com que tantas experiências negativas são viralizadas pelos canais virtuais, precisamos, também, sozializar aquelas que revelam o quanto é possível estabelecermos laços de respeito, afetividade e comprometimento entre professores e estudantes, a despeito da violência e da precarização das relações sociais que assistimos.
Ao final de nossa discussão, marcamos novo encontro, para o próximo dia 11 de dezembro, às 14h30min, no Centro de Educação, oportunidade em que faremos uma avaliação das atividades deste ano e deveremos planejar as atividades do próximo ano. Para isso, esperamos contar com a participação de todas, inclusive trazendo propostas e expectativas para o próximo ano (além de alguma comidinha ou bebidinha - sem álcool, é claro - para fazermos uma rápida confraternização...rs).

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

III Encontro de Educação de Jovens e Adultos EJA em Movimento consolida-se como importante espaço de reflexão e mobilização do campo da EJA.

Entre os dias 25 e 27, o Centro de Educação foi ocupado por professores e estudantes preocupados em discutir a educação de pessoas jovens e adultas nos mais variados aspectos. O evento - cuja chamada era "A EJA em tempos desleais" - contou com 223 inscrições e teve a participação efetiva de cerca de 126 pessoas, numa média de 120 por atividade.
A partir de um formulário eletrônico previamente respondido pelos inscritos, obtivemos a seguinte caracterização do público:
a) 50,5% dos inscritos eram professores atuantes na EJA ou coordenadores pedagógicos da rede pública de educação básica, o que evidencia o enorme apelo que eventos dessa natureza e com essa temática têm junto a esse público;
b) Uma quantidade expressiva dos coordenadores pedagógicos inscritos vieram de fora de Natal, revelando que essa discussão precisa "se interiorizar", dado que praticamente não encontrarmos políticas de formação específica aos colegas que atuam na EJA nos municípios do interior do nosso Estado;
c) Entre os professores atuantes na EJA e coordenadores pedagógicos, cerca de um terço atuam no magistério há mais de 15 anos, enquanto 44,2% têm entre 5 e 15 anos de atuação no magistério, dados que nos alertam para o fato de que, mesmo com um longo tempo de imersão no magistério, os colegas se ressentem de discussões sobre a modalidade;
d) Dentre os professores e coordenadores inscritos, 55,7% têm menos de 5 anos de atuação específica na EJA, o que pode nos indicar (face às poucas experiências formativas voltadas às especificidades da EJA, tanto no âmbito dos cursos de graduação, como na condição de egressos e já admitidos na rede) o papel de espaço formativo que o evento adquire para esses profissionais;
d) Cerca de 71,4% dos inscritos detêm uma pós-graduação, porém 62,1% nunca tiveram uma formação específica na modalidade e 98,1% declararam sentir necessidade de uma formação específica voltada à EJA;
e) 27,8% eram estudantes das licenciaturas (Pedagogia e Áreas Específicas) e 33.3% declararam que não tiveram contato algum com as questões relacionadas à EJA, atestando algo que temos discutido em espaços institucionais dentro da UFRN, sobre a pouca presença da discussão sobre a modalidade nas licenciaturas, não obstante o fato de que grande parte dos licenciandos, seja através de iniciativas como o PIBID, seja como estagiários, se defrontam com a realidade da EJA sem que tenham sido sequer familiarizados sobre as questões que permeiam a modalidade ao longo de seus respectivos percursos formativos em seus cursos de licenciatura.
O evento foi aberto, no dia 25, com um debate em torno de questões de políticas públicas para a EJA na atual conjuntura, a partir de uma mesa redonda sobre a EJA no contexto dos planos nacional, estadual e municipal, com a profa. cearense Rita de Cássia (do Movimento Nacional dos Fóruns de EJA), a profa. Deyse Karla Martins (da SUEJA-SEEC/RN) e a profa. Ednara Menezes (da Coord. de EJA da SME Natal).
No dia 26, à tarde tivemos a socialização de relatos de pesquisas e experiências protagonizadas por profissionais das redes públicas de educação básica, com trabalhos muito instigantes que refletem a preocupação de nossos colegas em desenvolver atividades e projetos voltados a estabelecer canais de diálogos mais consistentes com os estudantes da EJA e valorizá-los como sujeitos produtores de saberes.
Na noite do dia 26, em articulação com as atividades da tarde, tivemos uma mesa com a participação dos professores Alexandre Aguiar (do DPEC/CE/UFRN), Cynara Ribeiro (DFPE/CE/UFRN) e Liceu Carvalho (EM Ulisses de Goes) sobre aspectos dos sujeitos da EJA que devem ser (re)pensados à luz de uma prática pedagógica que os vejam como sujeitos de direitos e portadores de saberes e conhecimentos.
No dia 27, à tarde, tivemos mais uma mesa redonda com a participação das professoras Jane Paiva (UERJ), Edneide Bezerra (IFRN) e Alessandro Azevêdo (DPEC/CE/UFRN), discutindo estratégias de formação continuada para professores de educação básica que atuam na EJA. Na oportunidade, a profa. Jane Paiva apresentou elementos conceituais fundamentais para se pensar a formação de professores da EJA,
enquanto a profa. Edneide Bezerra trouxe aspectos relacionados à sua experiência como coordenadora de um Curso de Especialização à Distância e o prof. Alessandro Azevêdo, abordou a experiência formativa desenvolvida no contexto do Projeto EJA em Movimento.
Nesse último dia, à noite, a profa. Jane Paiva abordou o tema "Qual Currículo para a EJA?", oportunidade em que apresentou um relato da experiência de reformulação curricular da rede pública estadual da Bahia, com a qual ela colaborou, trazendo os seus fundamentos para o debate com o público presente.
Por tudo isso, o evento se revelou pleno de êxito, mas a coordenação está disponibilizando um formulário eletrônico para que os participantes possam avaliar o evento e enviar para conhecimento e análise da equipe que conduziu os trabalhos. Aqueles que participaram do evento e quiserem avaliá-lo devem acessar https://goo.gl/forms/B0qheaux8McFk67E2

I Colóquio de EJA de Ceará Mirim e Pré-Encontro Municipal EJA em Movimento

Próximo dia 26 de agosto, na Escola Municipal Adele de Oliveira, em Ceará Mirim, os professores que atuam na EJA do município terão a oportu...